Psoríase: Sintomas, Causas e Tratamento

Os pacientes com Psoríase, especialmente a psoríase grave; devem conversar com seus médicos, reduzir o colesterol, parar de fumar, diminuir o peso, controlar o açúcar no sangue, exercitar e tomar aspirina.

O aumento da taxa de mortalidade só foi observado naqueles com psoríase que afetam mais de 10% da superfície corporal. Para aqueles com doença menos grave, o risco de morrer cedo foi, na verdade, menor do que era para as pessoas que não tinham a condição da pele.

Kirsner e autor do estudo, Dr. Megan Noe, sugeriram que as pessoas com psoríase grave conversam com seu médico sobre o tratamento da psoríase e o controle de fatores de risco que podem contribuir para um maior risco de morte precoce, como tabagismo , colesterol alto e diabetes .

Também é importante notar que não é claro a partir deste estudo, sozinho, se a psoríase grave realmente causa uma taxa de mortalidade maior, ou se há apenas uma associação entre esses fatores. O estudo incluiu cerca de 8,800 adultos com psoríase e quase 88 mil sem a condição. Os participantes do estudo foram seguidos por cerca de quatro anos em média.

Os voluntários do estudo viveram no Reino Unido. Cerca de metade dos participantes eram mulheres. Sua idade média era de 45. Aqueles com psoríase eram mais propensos a fumar e beber álcool. Depois que os pesquisadores ajustaram suas estatísticas para que não fossem descartados por fatores como tabagismo e diabetes , eles descobriram que aqueles com o maior nível de psoríase que afetam mais de 10% da superfície corporal eram quase duas vezes mais provavelmente morrerão durante o período do estudo. Cerca de 12% dos pacientes com psoríase caíram na categoria severa, disseram os pesquisadores.

Existem teorias, mas não evidências firmes, sobre por que existe uma ligação entre a psoríase extrema e taxas de mortalidade mais altas, disse Kirsner. Uma teoria é que a psoríase cria mais inflamação, inchaço no corpo, que machuca as artérias e as veias. Também é possível que as pessoas com psoríase já tenham inflamação em todo o corpo que não é causada pela condição da pele.

Os pesquisadores não estimaram a vida média neste estudo. A Fundação Nacional de Psoríase recomenda falar com seu médico sobre os riscos e benefícios de medicamentos, como a aspirina, antes de tomá-los.

Noe disse: “Temos muitos tratamentos bem sucedidos, e os novos medicamentos biológicos funcionam para a maioria das pessoas”. No entanto, Kirsner acrescentou, enquanto “os tratamentos provavelmente importam, se qualquer tratamento ajudará a reduzir o risco não é claramente conhecido”.

A causa da psoríase ainda é fruto de muita pesquisa, e até o momento não existem dados concretos em relação a sua causa.

Todavia, existem alguns fatores que ajudam a desencadear a doença. São eles:

  • Fatores genéticos, como histórico familiar;
  • O clima mais frio (o ressecamento da pele tende a ajudar a desenvolver o quadro de psoríase);
  • O consumo frequente de bebidas alcoólicas;
  • O uso de cigarros (fumantes tendem a desenvolver a psoríase com mais facilidade);
  • Outras causas relacionadas são o Estresse, que costuma servir como “gatilho” para uma infinidade de doenças de pele e
  • Doenças Imunológicas, que são umas das principais causadoras para o aparecimento de problemas de pele.

 

SINTOMAS DA PSORÍASE

Os sintomas assim como o quadro de início da doença, costumam variar frequentemente de paciente para paciente. Porém, eles tendem a ser facilmente observados:

  • Manchas vermelhas com aspecto de descamação;
  • Pele ressecada e/ou rachada (em casos mais sérios existem pequenos sangramentos devido a esse ressecamento);
  • Coceira;
  • Queimação;
  • Dor;
  • Problemas articulares – como dores, inchaço e rigidez nas articulações;
  • Problemas nas unhas – sendo comuns unhas quebradiças e amareladas com um aspecto de fragilidade;
  • Em alguns casos a psoríase também costuma atacar o couro cabeludo, e por essa razão costuma causar um forte incomodo com coceiras e ardência. Em alguns casos pode ocorrer a queda de cabelo.

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO DA DOENÇA?

O diagnóstico só pode ser feito por um médico dermatologista. Apesar de alguns sintomas serem facilmente observáveis, apenas um médico capacitado e especializado pode realmente fazer um diagnóstico concreto da doença.

Esse diagnóstico tende a ser simples e rápido de ser feito e em alguns casos, alguns exames complementares podem ser pedidos.

Vale ressaltar, que existem vários tipos de psoríase, e isso ressalta ainda mais a importância de um médico dermatologista para realmente conseguir concretizar o diagnóstico e um tratamento baseado no seu quadro individual.

COMO É O TRATAMENTO DA PSORÍASE?

O tratamento da psoríase tende a não ser complicado. Na grande maioria dos casos são utilizados medicamentos tópicos nas áreas lesionadas pela doença, e também é exigido do paciente que ele se exponha ao sol – que tende a ajudar muito no tratamento.

Em casos mais extremos, é necessário o uso de medicamentos orais e/ou injetáveis, também é indicado um tratamento com exposição à luz ultravioleta – porém, esses casos tendem a ser bem mais raros e não condizem com a maioria das pessoas que sofrem desta doença.

Em todo o caso, o tratamento também deve ser indicado pelo médico dermatologista.

É contra indicado a automedicação como maneira de tratamento para psoríase, tendo em vista que o quadro pode piorar e o paciente ainda pode causar outras lesões na pele durante o processo.

FONTE: (com alterações): http://www.medicinenet.com

Psoríase: Sintomas, Causas e Tratamento
Rate this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: